Hoje pensaremos em Colossenses 2.1-7.

Pense no seguinte: uma pessoa deseja construir uma casa majestosa de três andares. Ela possui o dinheiro necessário, a mão de obra necessária, o terreno necessário. Ela contrata uma empresa de design, uma engenharia, arquitetos, mas não uma empreiteira. Ela se preocupa com o exterior, com a decoração interna, com as luzes e a tecnologia embarcada. Entretanto, não se preocupa nem um pouco com a fundação da casa, porque isso ela não pode mostrar para ninguém – daí o fato de não contratar uma empreiteira. Ela economiza o máximo que pode fazendo o mínimo necessário na fundação. Vencida a etapa chata, a etapa inútil (porque não se pode mostrar), começam os trabalhos na casa! Ah, que casa! Três andares repletos de tecnologia embarcada, garagem para 5 carros, piscina interna aquecida, sala de cinema, sala de jogos… Cada uma destas coisas cobra o seu preço sobre a fundação da casa, que sustenta toda a obra. Bem, como a fundação foi a parte deixada para lá, a parte economizada, a parte onde esta pessoa pegou um atalho, ela suportará o que foi construída para suportar.

“Mas quem ouve estas minhas palavras e não as pratica é como um insensato que construiu a sua casa sobre a areia. Caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram contra aquela casa, e ela caiu. E foi grande a sua queda”. (Mateus 7:26,27).

Toda a construção é importante, mas a base, a fundação, é a mais importante de todas; ela é que define se a construção será uma meia água ou um prédio de 40 andares. Seguindo a mesma analogia, toda a construção de nossa vida é importante, mas a parte mais importante de todas é onde fincamos nossas raízes e o quão profundas elas são. “Portanto, assim como vocês receberam a Cristo Jesus, o Senhor, continuem a viver nele, enraizados e edificados nele, firmados na fé, como foram ensinados, transbordando de gratidão.” (2:6,7). A parte mais crítica da vida no Reino não é deixar a semente brotar – ela faz isso até na pedra – é permitir que suas raízes se tornem profundas. Isto depende de dois fatores:

1) O local onde foi plantada a semente. “Esforço-me para que eles sejam fortalecidos em seus corações, estejam unidos em amor e alcancem toda a riqueza do pleno entendimento, a fim de conhecerem plenamente o mistério de Deus, a saber, Cristo. Nele estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento.” (2:2,3). Nossa vida só pode criar raízes profundas e inabaláveis de fé quando plantadas na Rocha, no Cristo. Nele estão escondidos os tesouros, Nele está a sabedoria e o conhecimento. Se nossa vida for enraizada em filosofia humana, em força humana, em poder humano, em palavras humanas, não resistirá aos desafios desta vida. O segredo para permanecer em Jesus nunca esteve em nossa força ou habilidade; sempre esteve em fincar raízes no lugar certo.

2) O cuidado que se tem com a semente. “Eu lhes digo isso para que ninguém os engane com argumentos aparentemente convincentes.” (2:4). Para não receber uma nota falsa é preciso conhecer a verdadeira. Para não ser enganado em uma ligação onde alguém se passa por outro, é preciso conhecer a voz verdadeira. Para não ser enganado por uma revelação bíblica falsa, é preciso conhecer a revelação verdadeira. Somos enganados porque não temos cuidado com a semente, porque não nos dedicamos a ela como deveríamos.

“Jesus respondeu: ‘Vocês estão enganados porque não conhecem as Escrituras nem o poder de Deus!'” (Mateus 22.29).

Sem raízes fortes colocadas no lugar certo e com o cuidado correto, seremos levados pelos cuidados da vida, pelos caprichos do nosso coração egoísta, pelas mensagens falsas que tentam nos afastar do Caminho. Quando, porém, deixamos que Sua obra em nós ocorra, quando damos lugar de excelência a Ele em nosso dia a dia, somos enraizados e edificados Nele, firmados na fé verdadeira e genuína, e transbordamos de gratidão. Finque suas raízes na Palavra!

 


Você sabia que o “Que Tal Pensarmos?” virou livro? Confira em: www.ibmsj.com.br/que-tal-pensarmos-1!

 

Graça e paz.

Compartilhe esse link:
Author: Davi Pessanha

Eu sou aquele cara... aquele mesmo. Isso! Lembrou? Não? Tá, deixa pra lá... ^_^