Mulheres | Que tal Pensarmos?

Categories: Artigos

Hoje pensaremos em 1ª Timóteo 2.9-15.

Talvez algumas pessoas tenham pensado: “estes versos serão pulados”, ou “agora veremos um monte de desculpas para um texto machista”. Bem, não pularemos nem daremos desculpas; ao invés disso, faremos um desafio às mulheres da mesma forma que fizemos aos homens. E aí, mulheres, topam pensar em desafio?

Em primeiro lugar, a Bíblia fala com as pessoas do tempo em que o texto foi escrito. A diferença é que, como os princípios são eternos, eles podem ser aplicados a qualquer pessoa em qualquer tempo. Aqui temos princípios e temos costumes misturados em um mesmo texto. Os princípios permanecem poderosos e válidos até hoje; os costumes mudaram muito de lá para cá. Comecemos pelo ponto de conflito: “A mulher deve aprender em silêncio, com toda a sujeição. Não permito que a mulher ensine…” (1 Timóteo 2.11,12). Naquela sociedade em que o apóstolo Paulo está inserido era uma vergonha tremenda que uma mulher desse sua opinião sobre um assunto qualquer na frente de homens. Se uma mulher casada fizesse isso destruiria a imagem de seu marido na sociedade. Não gastaremos tempo aqui pensando no papel e no valor da mulher nesta sociedade, porque todos sabemos disso. Hoje em dia, um homem que pensa assim deve morar em uma caverna. A mulher conquistou um espaço fantástico na sociedade e é essencial a sua participação em qualquer assunto que seja; eu mesmo não resolvo nada sem a opinião de minha esposa! Ou seja, este verso trata de um costume que caiu com o tempo. Agora veja isso: “…nem que tenha autoridade sobre o homem.” (1 Timóteo 2.12). Isso é um princípio e, como tal, eterno.

Mulheres, sujeitem-se a seus maridos, como ao Senhor, pois o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja (…). Assim como a igreja está sujeita a Cristo, também as mulheres estejam em tudo sujeitas a seus maridos. Maridos, amem suas mulheres, assim como Cristo amou a igreja e entregou-se a si mesmo por ela (…). Da mesma forma, os maridos devem amar as suas mulheres como a seus próprios corpos. Quem ama sua mulher, ama a si mesmo. (…). Portanto, cada um de vocês também ame a sua mulher como a si mesmo, e a mulher trate o marido com todo o respeito. Efésios 5.22-33.

Essa relação nunca foi sobre “de quem é o pior encargo”, mas sobre papéis: a mulher respeita o marido como ao Senhor, e o marido ama a esposa como Cristo amou a Igreja e, se for preciso, dará a vida por ela. Cada um tem sua responsabilidade, cada responsabilidade tem seus ônus e seus bônus. A mulher, como serva de Cristo, deve vestir-se de boas obras, de decência, de boas palavras, de sabedoria; é o que nós, homens, dependemos! Há qualidades que apenas a mulher possui e que os homens não podem reproduzir. Por isso o papel da mulher é tão vital.

Mulheres, lá vai o desafio: será que você consegue buscar em Deus a sabedoria para que cada palavra que falar seja uma pérola mais bonita que um colar, que tenha um valor maior que o ouro, que chame mais atenção que uma roupa de grife? Se vocês buscarem isso em Deus com sinceridade, sem hipocrisia ou mentiras, não precisarão se preocupar com sua posição na sociedade; o papo que ouvirão será:

Seus filhos se levantam e a elogiam; seu marido também a elogia, dizendo: ‘Muitas mulheres são exemplares, mas você a todas supera’. A beleza é enganosa, e a formosura é passageira; mas a mulher que teme ao Senhor será elogiada. Provérbios 31.28-30.

Que vocês recebam a recompensa merecida, e suas obras sejam elogiadas por todos!

 


Você sabia que o “Que Tal Pensarmos?” virou livro? Confira em: www.ibmsj.com.br/que-tal-pensarmos-1

 

Graça e paz.

 

Compartilhe esse link:
Author: Davi Pessanha

Eu sou aquele cara… aquele mesmo. Isso! Lembrou? Não? Tá, deixa pra lá… ^_^