MATURIDADE | Que tal Pensarmos?

Categories: Artigos

Hoje pensaremos em 1ª Timóteo 4.12-16.

Você e eu conhecemos pessoas de muita idade que não tem maturidade alguma; também conhecemos pessoas que, apesar da pouca idade, mostram uma maturidade impressionante. Maturidade, segundo o dicionário, é entre outras coisas “condição ou atributo de maduro: maturidade de uma planta.” É exatamente sobre esta definição que pensaremos hoje.

Timóteo era um jovem adulto quando foi consagrado ao serviço cristão e sua pouca idade (para os padrões da época) não o impediu de servir no Reino de forma poderosa e relevante. Apesar de estar em uma faixa etária na qual as pessoas não esperavam ver elevados padrões de conduta e sabedoria, Paulo o incentiva a ser “um exemplo para os fiéis na palavra, no procedimento, no amor, na fé e na pureza.” (1 Timóteo 4.12). A ele foi confiada a leitura pública da Palavra, a exortação e o ensino – não quando desse, mas dedicando-se inteiramente a elas – para que o seu progresso fosse visto por todos. Você, querido, que é jovem neste século louco, onde crianças tocando pessoas peladas são uma expressão cultural e onde a inversão dos valores morais, éticos e familiares é a onda do momento, não deve se acovardar e muito menos se conformar. Não há tempo para pensar que, “quando passar dos 40, estabelecido e realizado, cuidarei então das coisas do Senhor”. O mundo precisa de pessoas maduras agora. Isso não tem nada a ver com idade, mas com crescimento!

“Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei.” Gálatas 5.22,23.

Lembra: “condição ou atributo de maduro: maturidade de uma planta.”? É exatamente isso. A maturidade que o mundo espera de nós não é que tenhamos opiniões políticas bem pautadas ou que discursemos com propriedade sobre os escritos de Nietzsche; o mundo espera ver em nós o fruto do Espírito maduro, pronto para abençoar vidas e trazer o Reino a este mundo deturpado e caído. Há uma cena no filme Matrix Revolution, o último da trilogia, em que o Capitão Mifune conversa com um garoto, Kid, antes da batalha com as máquinas:

Mifune: “Saia daqui, você é muito novo para lutar”.
Kid: “Senhor, as máquinas não se importarão com a minha idade. Elas me matarão do mesmo jeito”.

Não sei se você percebeu, mas as coisas estão caminhando de loucas para insanas. Não há mais como esconder-se atrás da pouca ou muita idade. É preciso amadurecer já!

 

 


Você sabia que o “Que Tal Pensarmos?” virou livro? Confira em: www.ibmsj.com.br/que-tal-pensarmos-1

 

Graça e paz.

 

Compartilhe esse link:
Author: Davi Pessanha

Eu sou aquele cara... aquele mesmo. Isso! Lembrou? Não? Tá, deixa pra lá... ^_^