RELEVÂNCIA | Que tal Pensarmos?

Categories: Artigos

Hoje pensaremos em 1ª Timóteo 4.15,16.

 

Para pesquisa no futuro, li uma notícia no site da Folha de São Paulo sobre um historiador da ciência e escritor, Michael Shermer, fundador da Sociedade dos Céticos nos EUA (leia a matéria aqui, acessado em 06/10/2017). A manchete da notícia era a seguinte: “Vai demorar, mas religiões cairão em desuso, diz historiador da ciência”. Se tiver um tempo, leia a notícia. Segundo postula o escritor, “(…) em séculos, acho que a religião vai cair em desuso.”. Por que ele afirma isso? “Em países europeus, onde há bons sistemas de proteção social e tudo mais, eles não precisam de religião.”, diz o historiador. Você, talvez, leia isso com raiva e cheio de julgamentos para o distinto senhor, mas eu gostaria de pensar algo com você: é culpa dele ou é culpa nossa? Um pouco dos dois, é a minha resposta. No que tange ao indivíduo, não poderia jamais alcançar seus motivos; são dele e de mais ninguém. Mas, sobre a nossa culpa como igreja, podemos pensar sim. Será que estamos perdendo a relevância?

 

Veja a afirmação do senhor Michael Shermer: “(…) onde há bons sistemas de proteção social e tudo mais, eles não precisam de religião.”. Veja bem: não precisam de religião. Quem são os culpados por transformar o cristianismo em uma religião que meramente supre necessidades sociais? Quem são os responsáveis pela visão de que a igreja é um caça-níqueis, um curral eleitoral, um local de projeção pessoal, uma ferramenta para lavagem de dinheiro, um lugar para ficar rico? Quem? Somos eu e você; quando agimos ao contrário da recomendação de Paulo a Timóteo:

 

Seja diligente nestas coisas; dedique-se inteiramente a elas, para que todos vejam o seu progresso. Atente bem para a sua própria vida e para a doutrina, perseverando nesses deveres, pois, fazendo isso, você salvará tanto a si mesmo quanto aos que o ouvem. 1 Timóteo 4:15,16.

 

Se você ler a matéria verá que o senhor Michael Shermer era cristão evangélico. Um dia o cristianismo perdeu a relevância para ele. Quando isso aconteceu ele percebeu que o cristianismo não tinha relevância nenhuma para a família dele também.

 

Quando eu abandonei minha religião, foi meio que ‘tanto faz’. Acho que meus amigos e minha família ficaram aliviados, porque eu parei de pregar para eles.

 

A Igreja, a Noiva de Cristo, O Corpo de Jesus aqui na terra, sempre terá relevância. A igreja, a instituição humana formada por pessoas como eu e você, nem sempre. A chave da relevância está no casamento entre igreja e Igreja; está em vivermos o dia-a-dia perseverando na Palavra, dedicando-nos à Palavra, atentando para a nossa vida. Se tudo o que temos para oferecer a este mundo são realizações deste mundo, então a igreja é realmente uma instituição fadada ao declínio. Se tudo o que podemos fazer pelo mundo é jogar o mesmo jogo, é falar as mesmas coisas, é fazer o que todos fazem, então realmente não sobreviveremos muito tempo. Se ao invés disso nos mantivermos firmes na Palavra, na Palavra da Verdade, que não oferece o reino deste mundo, mas o Reino neste mundo, então teremos uma mensagem que atravessará os séculos sem perder sua relevância. Aqui estamos nós hoje, mais de dois mil anos depois do nascimento da Igreja, e ela continua relevante e atual. Será que uma pessoa que encontrar este texto daqui a dois mil anos pensará: “caro amigo do passado, cá estamos nós quatro mil anos depois e ela continua mais relevante que nunca!”? Depende de mim, depende de você. Em uma coisa, no entanto, eu concordo totalmente com o senhor Michael Shermer: agora é a hora de fazer o mundo melhor. Não apenas pregue a Palavra, viva a Palavra da forma mais apaixonada e intensa que você puder! Assim esta Mensagem avançará na História até que Ele venha.

 


Você sabia que o “Que Tal Pensarmos?” virou livro? Confira em: www.ibmsj.com.br/que-tal-pensarmos-1

 

Graça e paz.

 

Compartilhe esse link:
Author: Davi Pessanha

Eu sou aquele cara... aquele mesmo. Isso! Lembrou? Não? Tá, deixa pra lá... ^_^