NECESSIDADES – Parte final | Que tal Pensarmos?

Categories: Artigos

Hoje pensaremos em 1ª Timóteo 5.23.

Quando você olha para um líder, seja ele pastor, professor, chefe, o quê você vê? Você vê a pessoa por trás do título ou vê apenas uma função que é exercida? Você dá ao líder o direito de ser humano ou cobra dele uma perfeição inatingível, que nem você consegue alcançar? Você entende que ele possui necessidades tão humanas quanto as tuas ou espera dele uma conduta tão sisuda, tão robótica, que chega a ser não-humana? Para encerrarmos esta sequência de olhares sobre nossas necessidades, vamos pensar sobre a forma como olhamos aqueles que nos lideram?

Necessidade de humanização

“Não continue a beber somente água; tome também um pouco de vinho, por causa do seu estômago e das suas frequentes enfermidades.” 1 Timóteo 5.23.

Paulo vem, desde o início do capítulo 5, dando uma sequência de exortações a Timóteo sobre como se portar, como tratar os outros, como tratar com a Igreja e como tratar com os pecados dos outros. Aqui, chegando no final do capítulo, Paulo diz a Timóteo: “agora preste atenção! Cuide-se, garoto. Você é humano também.”. Fica claro, pelo texto, que Timóteo não tinha lá uma saúde de ferro. Paulo então lembra-o de que não dá para servir a ninguém se não cuidarmos de nós mesmos. Uma vez um pastor de quem que gosto muitíssimo, Aramis Brito, disse uma coisa para mim: “Deus te chamou para viver no Evangelho, não para morrer no Evangelho”. Mano, isso mudou a minha vida! Até então eu achava que deveria me destruir fazendo “a obra de Deus” para, de alguma forma, pagar pela salvação. Na verdade verdadeira, nada do que eu faça pode pagar aquilo que é de graça. Não preciso trabalhar até cair, cantar até ficar afônico, abandonar a minha família, queimar a minha TV, nada disso! Preciso viver uma vida na dependência do Espírito Santo, aproveitando toda oportunidade que eu tenha para anunciar o Evangelho da Salvação – talvez até precise falar algumas vezes – e honrando o sacrifício de Jesus com minha vida diária. Isso inclui jogar videogame, ir à praia, passear com meus filhos e minha esposa, dar boas risadas, ficar sentado à toa sem fazer nada.

Até aqui você pode estar pensando “sim, concordo com isso! Preciso passear mais!”, e precisa mesmo. Entretanto, você estende esta mesma conclusão aos teus líderes? Você entende quando eles precisam sair com a família? Você entende quando eles precisam de um tempo em casa? Você entende quando eles precisam passear com o cônjuge sozinhos, sem mais ninguém? Você entende que eles podem passar por crises existenciais, crises na família, doenças, traumas decepções, frustrações, tristezas, momentos de raiva e de angústia, como qualquer outro ser humano? Nenhum líder é perfeito e imortal; todos têm suas deficiências próprias da humanidade.

Não cobre de seus líderes uma postura sobre-humana, robótica e alienígena. Deixe que eles sejam humanos, ajude-os a se tornarem melhores, bata papo furado, conte umas piadas, chame para tomar um café de vez em quando, indique bons filmes e respeite o tempo deles com suas famílias. Não é assim que você gosta de ser tratado?

 


Você sabia que o “Que Tal Pensarmos?” virou livro? Confira em: www.ibmsj.com.br/que-tal-pensarmos-1

 

Graça e paz.

 

Compartilhe esse link:
Author: Davi Pessanha

Eu sou aquele cara… aquele mesmo. Isso! Lembrou? Não? Tá, deixa pra lá… ^_^